fechar× Entre em contato (71) 3036-2187 / 3012-6419
É compreensível que um paciente tenha uma opinião negativa a respeito do uso
dos raios X com finalidade de diagnóstico. Para isso, os clíncos que utilizam radiação ionizante devem se familiarizar com a quantidade de exposição à radiação encontrada na Odontologia, o possível perigo que tal exposição causa e os métodos utilizados que têm efeito na redução da exposição e da dose.
Aventais de chumbo devem ser utilizados para minimizar a exposição do paciente a radiação. Assim como o tempo de exposição a radiação deve ser bem escolhido pelo profissional de acordo com a técnica da área a ser radiografada (por isso a radiologia digital é interessante por precisar de um tempo de exposição a radiação menor).
Além da qualidade superior de com alta definição, a imagem digital elimina o processamento químico, ou seja, para se obter uma imagem digital não se necessita usar substâncias químicas resultantes do processamento químico e nem lâminas de chumbo, diminuindo assim os resíduos químicos liberados para a natureza.
As imagens podem ser transferidas para outro profissional da área da saúde sem qualquer alteração na qualidade da imagem original. E ainda, podem ser enviadas via internet para os profissionais assim que forem realizadas, agilizando o diagnóstico e tratamento do paciente.
Além disso, receptores digitais intraorais requerem menos radiação que o filme, reduzindo a dose absorvida pelo paciente.
Os exames intraorais são o suporte das imagens para os dentistas. Eles podem ser divididos em 3 categorias: periapicais, interproximais. As radiografias interproximais mostram apenas as coroas dos dentes e a crista óssea vizinha ao dente. São mais comumente usadas para avaliar cárie entre os dentes. Já as periapicais devem mostrar todo o dente (passando um pouco da ponta da raiz), já que se avalia a condição do dente como um todo: cárie, presença e qualidade de tratamento de canal, presença e qualidade de pino, adaptação de restaurações, lesões periapicais (na ponta da raiz), entre outras coisas.
Existe o levantamento periapical completo, que nada mais é do que a tomada radiográfica periapical de todos os dentes. Esse exame geralmente é pedido em ínicio de tratamento para auxiliar o exame clínico inicial para se obter um correto diagnóstico .
A frequência desses exames varia com as circunstâncias individuais de cada paciente.

A tecnologia PCS ( Photon Collecting System) faz do Durr VistaScan o sistema mais avançado de digitalização por meio de placas de fosforo da atualidade. O sistema completamente digital, apresenta melhor resolução e ampla faixa de filtros para manipulação da imagem pelo profissional permitindo um diagnostico mais preciso. O Durr VistaScan se mostra um equipamento moderno e com alto comprometimento sustentavel visto que nao gera residuos ao meio ambiente nos processos de processamento das imagens adquiridas.
A radiografia panorâmica inclui ambos arcos dentários, superior e inferior, e suas estruturas de suporte. Ela é muito utilizada como imagem inicial de uma avaliação por ter uma visualização adequada e poder indicar, se necessário outro tipo de exame.

As principais vantagens desse tipo de radiografia são as seguintes:
-Ampla visibilidade dos ossos da face e dentes
-Baixa dose de radiação ao paciente
-Não causa dano ao paciente
-Possibilidade de ser realizada em pacientes com dificuldades de abertura bucal
-Curto tempo de realização
-Facilidade de compreensão das radiografias pelo paciente, auxiliando na apresentação do
diagnóstico e tratamento ao paciente.

Ela é mais útil para diagnóstico de problemas  que requerem  ampla visualização da arcada superior (por exemplo, localização de siso, traumatismo, lesões,etc).
As radiografias para fins administrativos são aquelas realizadas por outras razões além do diagnóstico, incluindo aquelas feitas para um plano de saúde ou um exame admisional. Isso acontece para admissão através de concursos públicos principalmente.
Radiografias para implantes

As imagens convencionais, como as radiografias panorâmicas e periapical, geralmente são úteis e de bom custo-benefício para diagnóstico para implante, mas não conseguem fornecer a visibilidade em cortes transversais ou a análise interativa da imagem que pode ser obtida com técnicas de imagem sofisticada.
As várias técnicas de imagem podem ser aplicadas em várias fases dos procedimentos cirúrgicos e restauradores. A seleção de técnicas específicas de imagem deve estar baseada na melhor técnica para fornecer uma gama maior informações e auxílio diagnostico à equipe , o cirurgião dentista implantodontista, protesista e o radiologista.
As imagens convencionais, como as radiografias panorâmicas e periapical, geralmente são úteis e de bom custo-benefício para diagnóstico para implante, mas não conseguem fornecer a visibilidade em cortes transversais ou a análise interativa da imagem que pode ser obtida com técnicas de imagem sofisticada.
As várias técnicas de imagem podem ser aplicadas em várias fases dos procedimentos cirúrgicos e restauradores. A seleção de técnicas específicas de imagem deve estar baseada na melhor técnica para fornecer uma gama maior informações e auxílio diagnostico à equipe , o cirurgião dentista implantodontista, protesista e o radiologista.
A cada momento observam-se mudanças de paradigmas e dogmas em diferentes segmentos da sociedade. A revolução industrial alterou a forma de vida de muitos povos. O mundo contemporâneo presencia um dos agentes responsáveis pela revolução do momento, a informática, que particularmente beneficiou as áreas da saúde. A aplicação dos benefícios e suas relações com os distintos setores da saúde permitiram importante economia de tempo, além de influenciar na qualidade de vida. A biotecnologia revolucionou o pensamento atual.

A radiologia presencia uma constante revolução, desde a descoberta dos raios X pelo Físico Alemão Röentgen, em 1895. Novas tecnologias abrem outros horizontes.
As variações de angulações propostas por Clark e o desenvolvimento da radiografia panorâmica por Paatero direcionaram para diferentes aplicações dos raios X na odontologia. Recentemente, a tomografia computadorizada cone beam (CBCT, feixe cônico) introduziu a terceira dimensão na odontologia, beneficiando especialidades que até então não usufruíam da TC médica por falta de especificidade.
Hoje, a tomografia computadorizada cone beam permite uma visualização de uma imagem tridimensional, em que um novo plano é adicionado, a profundidade. Sua aplicação clínica permite elevada acurácia, e se direciona a quase todas as áreas da odontologia – cirurgia, implantodontia, ortodontia, endodontia, periodontia, distúrbio têmporo-mandibular, diagnóstico por imagens, etc. A visão real da associação destes indicadores aos aspectos clínicos, projeta a quarta dimensão, marcada pela necessidade de tempo e espaço.
Vários trabalhos mostraram importantes indicações e ap